quinta-feira, 23 de novembro de 2006

PIMENTÕES RECHEADOS



O mar não está para peixe. Evidência clara de que atravessamos um período fértil de descontentamento financeiro. Sim, nossos bolsos andam furados e o pouco que guardamos debaixo de nosso colchões é indevidamente tomado por instituições governamentais e pelos grandes senhores do atual engenho que nos vendem caro o privilégio de subsistência. O mercado está saturado de velhas idéias, e novas oportunidades ainda que pareçam impossíveis, vêm surgindo com o aumento de iniciativas privadas no intuito de romper a barreira mercantilista e as fronteiras do mundo moderno. Nos grande centros urbanos, o aproveitamento do tempo tem que se adequar à necessidade do esforço trabalhista assim como à intensidade de giro e de dependência seletiva dos setores interligados , o que nos priva de um horário cômodo até mesmo para mantermos nossas necessidades (como é o caso da alimentação). Vivemos em um período de pressa coletiva e da busca eterna pelo menor esforço. Sendo assim, ocorreu-me a idéia de ingressar-me no ramo de comércio alimentício. Pretendo portanto, arrecadar fundos para a implantação de uma nova rede de fast-food delivery que se consiste na dieta única e exclusiva de pimentões recheados. O projeto inicial seria de montar a matriz no centro de Belo Horizonte, onde os pimentões seriam fornecidos à baixo custo pelo CEASA, e manualmente recheados por nossas profissionais devidamente higienizadas. A carne moída seria importada da Argentina (ilegalmente) para manter o padrão de qualidade de nossos produtos além de reforçar a amistosa relação internacional de comérico com nossos vizinhos. O tempêro caseiro seria procendente de uma exploração materna, a princípio, pois todos sabemos que o que falta na alimentação rápida e corriqueira das grandes metrópoles é o tempêro caseiro feito com amor. Contrataríamos uma legião modesta de 3 motoboys que nos auxiliariam na parte de entregua. Nossos mediadores fiéis. Começaríamos no caso com o box executivo, que seria composto por dois pimentões verdes e recheados, coberto pelo saboroso e autêntico molho da casa. E para beber, suco de laranja lima com açúcar mascavo, nos tamanhos 200, 300, 500, 700, e 1200ml. A sobremesa ainda está sendo analizada por uma de nossas nutricionistas de plantão.

Conto com a colaboração dos caros amigos leitores na instauração do projeto...

Um comentário:

totoin disse...

Saparada,mousse de sobremesa é a pedida!