terça-feira, 2 de janeiro de 2007

ESTORVO

Bronco. De breve brado. Guarnecia-me os tímpanos crus com notável desdouro, tal qual ignoto e lascivo que nunca deixara de ser. Ventavam-me insultos cuspidos a menos de um palmo perimetral. E não eram de baixo volume. Minha mudez transitória legitimava tal covardia a cada soletrar desonesto. Desejei-me defunto. Réu de tamanha imperícia que não me coubera imune. Jamais.

3 comentários:

Anônimo disse...

Não entendi nada.

HIGIENE Z disse...

Acha isso ruim?

Transcriador disse...

afeto por qualquer coisa pairando no ar,ou no chão ou dentro de sí....