terça-feira, 2 de janeiro de 2007

CEIA DE NATAL

O farto banquete em enorme lavabo
A ceita em nobre ornato, exposta
Festim natalino onde lava-se o rabo
Iguarias, tempêros e cheiro de bosta

4 comentários:

pedro disse...

uma dilícia essa ceia!!

mas nada além da realidade, afinal, (tirando a parte que nos nutre de vida) desde caviar até feijoada, passando por amores e afetos, desde carícias e afagos, passando por escargots até pão com mortadela: tudo vira bosta no final.

Marcelo disse...

Não poderia ser feita em local mais apropriado! Só faltou a geladeira...

Lívia disse...

O que a bebida não faz, hein ?

HIGIENE Z disse...

Sei que faz a cabeça...