quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

UM ARGUMENTO QUALQUER

Hei de fazer com que este
Ultrapasse a barreira de poucas estrofes
Que este costure em sortidos retalhos
O couro que lhe cobre a alma encarnada

Hei de fazer com que este
Não tente àquele que sofre
Que este possa bem mais do que galhos
Que possam ser vistos não só como escada

Hei de fazer com que este
Não ouse molduras, gavetas ou cofres
Que este procure apenas atalhos
Ainda que o breve destino não tenha o valor da estrada

Hei de fazer com que este
Num quarto escuro não mofe
Que ainda possa cabelos grisalhos
Fazendo de tudo um pouco e um tanto de tudo, o nada

3 comentários: