terça-feira, 12 de dezembro de 2006

CRISE EXISTENCIAL

E foi na casa de uma amiga em comum que percebemos tal questão. A sala era estreita, mas com o teto muito alto, se desmembrando em dois ou três andares. Alvas paredes e de pouca informação viusal ao seu extender. Entre um gole e outro, notamos a presença de um convidado incomum. Uma lagartixa. Ali, solitária. Desfilando seu tom pastel na plana e monocromática imensidão das paredes. Quase um minuto de contemplação. Foi quando sugerida a idéia de se pintar a lagartixa de branco. Melhor. Esvaziar a sala, tornando-a um cubo branco de interiores, além da pintura do animal. Seria como uni-los através de suas semelhanças externas, no caso o conceito pictórico de ambos, somado à idéia de relação entre o ser e o meio no qual estão inseridos. Um quase que niilismo poético questionável. Daí o título da obra: Crise Existencial.

(idéia consebida, mas ainda não posta em prática, pelos parceiros ideológicos UM e GNZ)

2 comentários:

Pedro disse...

ainda bem que vcs não fizerma isso com a pobre coitada... humpf, nada tem a ver com a miséria humana...

HIGIENE Z disse...

Eu vi Pedro negar Cristo por três vezes, diante do espelho...